"Por mais longa que seja a caminhada
o mais importante é dar o primeiro passo…"
Vinicius de Moraes

Destaques

Minimal Site Profile
26 Mar

Visita ao Convento da Arrábida + caminhada pela Serra

A 26 de Março (domingo) propomos-lhe uma visita guiada com duração de 1h30 ao Convento da Arrábida. Construído no século XVI tem uma propriedade em redor com 25 hectares. Em 1990 foi vendido à Fundação Oriente que zela agora pela sua preservação e importância histórica. Após a visita faremos uma caminhada pela serra da Arrábida.
Minimal Site Profile
26 Mar

Pelos trilhos da Mata da Curvachia - Leiria

A 26 de Março, domingo, vamos para as bandas de Leiria para explorar a Mata da Curvachia que encerra um património natural surpreendente e representa um exemplo daquilo que foi a floresta portuguesa no início do século passado.
Minimal Site Profile
26 Mar

De Murches à Serra de Sintra

A 26 de Março,domingo, propomos-lhe um trilho que nos leva a explorar a aldeia de Murches e a sua agradável zona envolvente onde se destaca o Parque Urbano das Penhas da Marmeleira.  
Minimal Site Profile
28 Mar

Caminhada de Lua Nova em Monsanto

A 28 de Março, terça-feira, propomos-lhe uma caminhada em noite de Lua Nova no Parque Florestal de Monsanto - a maior mancha verde da capital. Junte-se a nós e goze uma experiência diferente...
Minimal Site Profile
01 Abr

Pelo trilho de Matacães

A 1 de Abril, sábado, desafiamos os nossos caminhantes a percorrer o trilho de Matacães que passa pela Quinta das Lapas - classificada como imóvel de interesse público é uma das mais bonitas da região de Torres Vedras.
Minimal Site Profile
01 Abr

Na rota do Castelejo

No dia 1 de abril, sábado, vamos percorrer a fabulosa costa de Alvados, onde terá a oportunidade de observar a verde paisagem serrana em redor, passar pela praia Jurássica e pela singular formação rochosa do Castelejo.
Minimal Site Profile
01 Abr

Mouraria: à descoberta de um bairro com alma

A 1 de Abril, sábado, venha descobrir com a Inês Ribeiro a antiga Mouraria, um dos bairros mais típicos de Lisboa onde as antigas tradições se misturam e ainda hoje perduram.
Minimal Site Profile
01 Abr

GT Geológico São Pedro de Moel

A 1 de Abril, Sábado, o nosso destino leva-nos a São Pedro de Moel para uma caminhada conduzida pelo geólogo João Pereira.

Últimas

Minimal Site Profile
Novidades:

Caminhar e meditar na Primavera

Em contagem decrescente para a Primavera vamos retomar a partir de Março as nossas caminhadas com meditação. As sessões, conduzidas por Marta Davies Mertens, nossa parceira do GT body&soul, têm lugar nos mais variados spots na natureza. Desde praias, na serra de Sintra ou noutros locais ainda a agendar venha experimentar a serenidade destes momentos sempre com a natureza como cenário de fundo. Esteja atento à nossa agenda e adopte um estilo de vida zen...
Minimal Site Profile
Novidades:

Passadiços do Paiva vão reabrir!

Os passadiços do Rio Paiva reabrem novamente ao público a 13 de Fevereiro. Depois do incêndio que em Setembro do ano passado motivo o seu encerramento a estrutura com um total de 8km tem agora alguns melhoramentos. Com um limite de 3.500 visitantes por dia tem o custo de 1 euro por pessoa, permitindo aos caminhantes desfrutar com toda a segurança das magníficas vistas sobre as margens do rio e paisagem circundante. Aproveite o programa da Green Trekker «Passadiços do Paiva + rafting», que decorre de 29 de Abril a 1 de Maio, e desfrute de um programa de pura aventura.
Minimal Site Profile
Novidades:

Green Trekker avança no mapa de Portugal!

O nosso parceiro e guia GT, Quirino Tomás, já está instalado na zona da Lousã para cobrir e explorar todo este vasto território e lhe propor trilhos para todos os gostos e diferentes graus de dificuldade!!! Siga-o nas nossas páginas no FB e veja por onde anda... No sábado, dia 18 de Março, espera por si no evento «Pelos Caminhos de Xisto da Lousã» Inscrições através deste link http://www.greentrekker.pt/agenda/pelos-caminhos-de-xisto-da-lousa/
Minimal Site Profile
Novidades:

Já conhece o nosso parceiro Zé?

O José Cruz, arqueólogo, é o novo parceiro GT que irá conduzir alguns dos nossos passeios na zona centro. Saiba mais sobre ele num texto na primeira pessoa. «Tendo crescido com o mar e a serra como horizontes, foi com naturalidade que o contacto com o natureza tivesse assumido um papel fundamental na minha, logo desde a infância. A reboque da paixão pelos desportos de ar livre, vieram as primeiras viagens e com elas as primeiras montanhas e os trekkings em autonomia. Pelo caminho, uma licenciatura em Arqueologia e uma vida guiada pelo fascínio da descoberta, dos sítios e das pessoas, ajudaram a aguçar o gosto pelas caminhadas e pela procura de locais recônditos. É através da Green trekker que irei partilhar convosco essa paixão e levar-vos a conhecer a história e as estórias que cada recanto guarda».
Minimal Site Profile
Novidades:

Níveis de dificuldade dos percursos GT!

A Green Trekker, com o intuito de clarificar os seus clientes quanto aos Níveis de Dificuldade das suas Caminhadas, elaborou uma escala de dificuldade que pretende facilitar a escolha das mesmas por parte dos seus clientes. O objectivo é que através da descrição dos Níveis de Dificuldade, os clientes possam escolher a Caminhada que mais se adequa ás suas capacidades físicas e experiência em Caminhadas. É importante reter que qualquer escala de Níveis de Dificuldade é sempre muito subjetiva e é meramente indicativa. A escolha da caminhada mais adequada a cada cliente, pertence em exclusivo a cada um e deve ser feita de forma consciente e de acordo com as suas capacidades físicas, técnicas e psicológicas. Nível 1: Fácil Acessível a todos, incluindo crianças com mais de 10 anos e que estejam habituadas a caminhar. O percurso realiza-se em terreno maioritariamente plano e pouco acidentado, sem grandes dificuldades técnicas e físicas. Poderão existir alguns desníveis e distâncias a percorrer um pouco mais longos, mas regra geral serão acessíveis à grande maioria das pessoas. Nível 2: Moderado Acessível a todos aqueles que, mesmo não tendo grande preparação física, estão de boa saúde física e estão habituados a caminhar. No percurso poderemos encontrar alguns desníveis mais acentuados e zonas onde o piso poderá ser mais difícil e acidentado. Em alguns casos as distâncias a percorrer poderão ser maiores, mas a dificuldade técnica será reduzida. Nível 3: Exigente Para estas caminhadas é necessária experiência prévia em caminhada e os participantes devem estar em boa forma física. No percurso poderemos encontrar desníveis acentuados e terreno mais difícil em algumas zonas do percurso. A duração da Caminhada poderá ser mais extensa, as distâncias a percorrer maiores e o ritmo imposto superior (menos paragens). Nível 4: Difícil Recomendamos estas Caminhadas a pessoas com experiência em Caminhada, boa condição física e que pratiquem exercício de forma regular. É necessária resistência física e vontade para ultrapassar alguns pontos mais complicados do percurso. Os desníveis são consideráveis e o percurso poderá apresentar dificuldades técnicas acrescidas. As distancias a percorrer podem ser mais extensas, bem como a duração das mesmas e o ritmo imposto à Caminhada. Nível 5: Muito Difícil Destinado a quem tem bastante experiência em Caminhar e uma excelente condição física. A resistência física e vontade para ultrapassar alguns pontos mais complicados do percurso são preponderantes. O percurso pode apresentar desníveis muito acentuados e dificuldades técnicas significativas. Em alguns casos poderão ser necessários equipamentos e ferramentas específicas para vencer alguns obstáculos. A duração e a extensão da Caminhada, bem como o seu ritmo podem ser bastante elevados
Minimal Site Profile
Diário de Uma Trekker:

Jantar na Mesquita de Lisboa

Numa destas noites de sexta-feira quem passar junto à Mesquita de Lisboa apercebe-se de que existe mais movimento do que o habitual. Assim tem sido de há três meses para cá quando a Green Trekker começou a organizar visitas a este templo muçulmano. Elas chegam com os seus lenços e pacheminas de vários tons a cobrir-lhes a cabeça e eles mais arranjados do que o costume esperam pacientemente que seja dada a ordem de entrada. Curiosidade muita... Afinal do outro lado da porta existe uma cultura e tradições muito diferentes da nossa. A primeira vez que lá entrei senti-me tão bem acolhida pelo Sheihk Munir, responsável máximo deste espaço, que rapidamente percebi o respeito mútuo existente entre as duas comunidades: portuguesa e muçulmana. Fotografias pode tirar-se à vontade acrescenta o Sheihk «não temos nada a esconder» e sempre com muito sentido de humor vai respondendo às mais variadas questões que lhe colocam até mesmo as mais indiscretas. Antes de entrararmos na sala de orações começam a amontar-se os sapatos aqui e ali e já lá dentro independentemente de sermos crentes ou não, de pertencermos a esta ou aquela religião, unimo-nos em nome da paz num sentido mais universal. Por fim chegou a hora do jantar e no refeitório da mesquita, onde no ar já pairavam os aromas exóticos das especiarias, o Sheihk com um ar sorridente diz «as senhoras servem-se primeiro». E assim foi pelo menos naquela noite...
Minimal Site Profile
Diário de Uma Trekker:

Caminhar e meditar

Um mosteiro budista para as bandas da Ericeira de nome Sumedhãrãma, onde reside uma pequena comunidade de monges, foi o suficiente para me despertar o interesse… À chegada fui surpreendida por uma simples moradia com o nome escrito numa pequena tabuleta. Talvez no meu imaginário esperasse encontrar um daqueles mosteiros que vemos em fotografias do Tibete ou mesmo do Butão. Mas não… mais simples não poderia ser. Fomos recebidos por um dos monges de nacionalidade inglesa que nos mostrou a casa partilhada por mais cinco elementos de várias nacionalidades entre as quais a portuguesa. Mostrou-nos ainda com orgulho a maquete daquele que será o novo convento numa propriedade ali perto e quando lhe perguntei para quando a mudança: limitou-se a sorrir e respondeu «a seu tempo». Quisemos conhecer este lugar e conduzidos pelo monge de vestes laranja, que sobressaia entre o verde da paisagem, percorremos um trilho que passou junto a pequenas casas de madeira onde se refugiam a contemplar a natureza e um altar onde se realizam ordenações. Mas afinal quantas horas meditam por dia, perguntei curiosa: «estamos sempre a meditar». Pensei era tão bom poder meditar assim sempre que apetece…mas afinal depois de aqui ter estado e sentido toda aquela paz basta libertar a mente e deixar-se contagiar por este ambiente de luz e cor.